Anime

5 perguntas que Dragon Ball GT esqueceu de responder para os fãs

Dragon Ball GT, apesar de não ser considerado canônico, ainda levanta questões intrigantes entre os fãs, mesmo após o término da série. Por anos, foi tido como o último capítulo da saga Dragon Ball, mas a chegada de Dragon Ball Super relegou GT a um mero exercício de “e se”. Ainda assim, não se pode negar que GT apresentou uma tentativa legítima de encerrar as aventuras de Goku e seus amigos.

Embora GT possa ser interpretado como um encerramento para a série, ele deixou uma série de pontas soltas, algumas intencionalmente abertas à interpretação, outras simplesmente esquecidas. Essa abordagem pode ser vista como um convite à imaginação dos fãs ou uma falha narrativa, dependendo da perspectiva do espectador.

Confira, a seguir, 5 perguntas que Dragon Ball GT esqueceu de responder para os fãs!

Para onde Shenron e Goku foram?

A saga de Shenron e Goku em “Dragon Ball GT” termina com um mistério envolvente. Após a derrota dos Shadow Dragons, Shenron retorna, claramente preocupado com o uso excessivo das Esferas do Dragão. Sua decisão de partir com um Goku aparentemente envelhecido levanta muitas questões.

Acredito que essa saída simboliza o fim de uma era e o início de uma nova jornada para Goku. A ausência de um destino final claro é, para mim, uma metáfora para o infinito potencial de aventuras que aguardam os personagens fora dos limites da narrativa.

Goku estava vivo ou morto quando GT terminou?

A ambiguidade em torno do estado de Goku no final de “Dragon Ball GT” é intrigante. O fato de ele aparecer sem um halo, mas ainda assim emanando uma aura misteriosa, é um elemento intencionalmente ambíguo, criado para gerar debate entre os fãs.

A sugestão de Atsushi Maekawa sobre a possível “morte” de Goku é uma interpretação fascinante que enfatiza a natureza heroica e sacrificial de seu personagem. Essa incerteza sobre o estado de Goku adiciona uma camada de profundidade e mistério à série.

Pan aprendeu o Super Saiyan durante o enorme salto no tempo do GT?

A trajetória de Pan em “Dragon Ball GT” é, na minha opinião, um exemplo de oportunidade desperdiçada. Sendo uma lutadora talentosa com sangue Saiyan, era de se esperar que ela alcançasse pelo menos o primeiro nível de Super Saiyan.

Contudo, o foco excessivo em Goku ofuscou o desenvolvimento de outros personagens, incluindo Pan. Se ela tivesse continuado seu treinamento, é altamente provável que ela teria desbloqueado o poder do Super Saiyan. O fato de “GT” não explorar esse potencial é uma falha significativa na série.

Goku conseguiu tirar Piccolo do inferno?

A saga de Piccolo em “Dragon Ball GT” é uma jornada de sacrifícios contínuos. Seu destino final, preso no Inferno, é um testemunho de sua dedicação e altruísmo.

A promessa de Goku de libertar Piccolo é um momento tocante que ressalta a profunda amizade entre eles. No entanto, a série deixa essa promessa no ar, sem revelação no futuro distante. Essa falta de resolução é decepcionante, pois deixa uma das histórias mais emocionantes de “GT” sem um desfecho satisfatório.

Por que o inferno parece tão diferente no GT?

O Inferno em Dragon Ball GT apresenta diferenças marcantes em comparação com as descrições anteriores. De céus roxos a paisagens desoladas, GT oferece uma visão mais sombria e distinta do Inferno.

Pode-se argumentar que essa mudança foi uma escolha estilística para diferenciar GT das séries anteriores ou talvez representar uma parte diferente desse reino. No entanto, a falta de uma explicação clara deixa os fãs na especulação.

Siga-nos no Google News para receber as últimas notícias de anime.

Daniel Oliveira

Criador do animerant.com.br. Desenvolvedor e webmaster que trabalha como escritor e principal editor de notícias para o site.

Compartilhar
Publicado por
Tags: dragon ball

Este site utiliza cookies para garantir que você obtenha a melhor experiência.

Política de Privacidade